Por Caique Santos

temer-1-uesbA ocupação no campus da UESB acabou. Ontem (06) a noite uma assembléia com aproximadamente 14 estudantes presentes decidiu pelo fim. Ainda assim, só vão sair do local na segunda-feira (9).  Na ata da Assembleia um dos estudantes argumenta que “após muita reflexão, (…) politicamente não é estratégico manter a ocupação pois não somos uma organização. Será necessário utilizar a ocupação em outro momento como arma para outras reivindicações, pois não conseguiremos nos mobilizar em estado de ocupação. Estamos desgastados política e fisicamente. Sendo assim proponho votar pela desocupação.”, disse um dos manifestantes, que não teve o nome revelado.

O campus da Uesb, em Vitória da Conquista, estava ocupado desde o dia 21 de outubro como forma de manifestação contra a aprovação da PEC 55, que a despeito de todos os protestos, foi aprovada no dia 13 de dezembro de 2016 pelo Senado Federal. As escolas e universidades públicas do Brasil, que tiveram a ocupação motivada pela referida PEC, foram sendo desocupadas paulatinamente. O campus da Uesb em Itapetinga foi desocupado antes da aprovação em segundo turno, no dia 8 de dezembro, já o campus de Jequié foi desocupado no dia 14 de dezembro. Entretanto, o campus de Vitória da Conquista permaneceu ocupado, com a justificativa da necessidade de resolver a pauta interna.

Por meio de sua assessoria, a UESB havia divulgado em seu site que “diante de nenhuma reposta sobre os pontos da pauta interna e não tendo como avançar nas negociações, a Administração da Uesb não teve alternativa senão ingressar no dia 19 de dezembro, com uma ação de reintegração de posse, ao tempo que comunicou a Promotoria Pública, visando acompanhar e intermediar uma desocupação pacífica que garanta a integridade física dos ocupantes”, mas antes da reintegração ser cumprida, os estudantes resolveram sair.

Leia na íntegra a ATA da Assembleia

ATA DA ASSEMBLEIA ESTUDANTIL DO MOVIMENTO OCUPA UESB
Ao dia vinte e nove do mês de dezembro do ano de dois mil e dezesseis, às dezenove horas, na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, no campus de Vitória da Conquista, foi dado início à Assembleia Estudantil do Movimento Ocupa UESB convocada para deliberar as seguintes pautas: primeiro: avaliação geral do Movimento Ocupa UESB; segundo: reunião com a Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – ADUSB; terceiro: desdobramentos da Assembleia Unificada das Ocupações de Vitória da Conquista. Estando presentes estudantes participantes do movimento, foi dado iniciada a Assembleia Estudantil do Movimento Ocupa UESB, passando os informes sobre o ocorrido durante a semana no espaço interno e externo da ocupação, no ato contínuo os estudantes fizeram breves comentários sobre a avaliação geral do Movimento Ocupa UESB: Estudante um inicia sua fala: “após muita reflexão, avalio que politicamente não é estratégico manter a ocupação pois não somos uma organização. Será necessário utilizar a ocupação em outro momento como arma para outras reivindicações, pois não conseguiremos nos mobilizar em estado de ocupação. Estamos desgastados política e fisicamente. Sendo assim proponho votar pela desocupação.” Estudante dois: “Poucas pessoas voltarão das festividades para ocupar novamente. O movimento estudantil ficará um pouco parado quando terminar a ocupação pelo desgaste que tivemos nesses dois meses de mobilização.” Estudante três: “Está havendo um número menor de pessoas dentro da ocupação e isso está dificultando a continuidade, pois as atividades internas não estão sendo feitas. Podemos pensar em um prazo para desocupar ou novas formas de chamar estudantes para a ocupação.” Estudante quatro: “Houveram momentos em que ocorreu o debate político, no entanto, isso acabou se esvaziando pelo cansaço das demandas internas do dia a dia. Podemos pensar em estrategias para desocupar, porque uma parte das pessoas que permaneceram esses dois meses dentro da ocupação estão presentes desde outros movimentos anteriores feitos dentro da Universidade.” Estudante dois: “Proponho votar pela desocupação no dia 07-01 (sábado).” Estudante cinco: “A mobilização daqui para frente será complicado, pois dialogar com os estudantes da UESB é difícil. Temos que deixar claro porque ficamos aqui durante dois meses. As pessoas presentes no movimento estarão muito cansadas e por isso temos que pensar como será a mobilização pós desocupação.” Estudante seis: “O cansaço existe. Resistir nesse momento é primordial para que possamos pressionar a reitoria, e assim garantirmos alguma resposta clara sobre as pautas internas.” Estudante sete: “Estamos desgastados pois surgiram muitas demandas nesse período, por isso não avançamos tanto como queríamos. Temos que repensar novas formas de mobilização, porque não podemos carregar o movimento sozinhos nas costas, enquanto algumas pessoas se desdobram para que a luta avance e outras ignoram. Precisamos de quantidade para continuar com o movimento e assim não sobrecarregar as pessoas que estão presentes desde o início da ocupação.” Estudante oito: “Foi um momento importante, mas temos que ver até onde podemos continuar com a ocupação.” Estudante quatro: “Após a desocupação uma forma de mobilização pode ser as pessoas que estão presentes na ocupação se mobilizarem dentro de seus cursos, assim, aumentando a quantidade de pessoas para o movimento estudantil. Podemos pensar em atos dentro da UESB pós desocupação.” Estudante seis: “Proponho desocupar dia 09-01 (segunda – feira).” Estudante sete: “Pensar em algo muito além da comunidade acadêmica e sim nas pessoas que estão fora desse espaço.”
Neste entendimento, reunidos em Assembleia Estudantil foi encaminhado para a votação a proposta feita pelos estudantes presentes na Assembleia, aprovando a desocupação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia do campus de Vitória da Conquista, com cinco votos favoráveis, nenhum voto contrário e cinco abstenções. A desocupação foi marcada para o dia nove do mês de janeiro do ano de dois mil e dezessete, com sete votos favoráveis, três votos contrários e nenhuma abstenção. Após deliberada a desocupação surgiram alguns desdobramentos, são eles: elaborar um documento\acordo para a reitoria assinar comprometendo-se com a demanda das pautas internas do movimento; ao decorrer da semana se dedicar às questões políticas e fazer limpezas nos espaços internos da UESB; fazer um mutirão no sábado para uma limpeza geral externa da UESB e no domingo realizar uma mesa cultural; manter os portões abertos até doze horas para os experimentos e abrir somente para os funcionários da empresa de segurança; fazer uma nota sobre os motivos da desocupação. Todos os encaminhamentos acima após deliberação foram unanimemente aprovados. Para finalizar, houveram dois desdobramentos: os estudantes, após saírem do estado de ocupados, devam puxar o fórum das UEBAs para a UESB, como forma de mobilização pós desocupação, e que a data, aprovado em assembleia, para a desocupação fosse mantido em sigilo entre os estudantes, para que as negociações pudessem prosseguir em uma última tentativa de avançar com as pautas internas do Movimento, além de preservar a segurança dos ocupantes, sendo assim, tal informação não poderia ser repassada por vias não confiáveis, como redes sociais, tais deliberações foram aprovadas com nove votos favoráveis, nenhum voto contrário e uma abstenção. Dando prosseguimento aos trabalhos, houve um breve esclarecimento sobre a reunião com a ADUSB, onde foram discutidos os supostos boatos direcionados à instituição e a diretoria, a mesma queixou-se de ter sido vítima de acusações injustificadas, dando conta de que a parceria entre a ADUSB e o Movimento Ocupa UESB não foi interrompida, mas sim que houve uma falha de comunicação. Foi esclareceu que, na verdade as doações direcionadas à ocupação não vinham diretamente da Instituição, mas sim de uma rede de solidariedade composta por professores, muitos dos quais, por mera coincidência, mas não necessariamente, atuam na Associação dos Docentes da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia; segundo ela, as doações cessaram porque os alunos ocupados não comunicaram a necessidade, através das redes sociais, de novos donativos. Após findados os esclarecimentos, parte dos professores que compõem a direção solicitaram uma lista para a compra de novos suprimentos. Sendo assim, os boatos que circulavam a respeito da relação entre a ADUSB e o Movimento Ocupa UESB foram esclarecidos e superados. Avançado o ponto das demandas da ocupação, deu-se início ao último ponto de pauta: desdobramento da Assembleia Unificada das Ocupações de Vitória da Conquista; foram transmitidos os informes sobre o ocorrido na reunião, do dia vinte de dezembro de dois mil e dezesseis no Instituto Federal da Bahia – IFBA, situado na Cidade de Vitória da Conquista: estiveram presentes estudantes representantes do Movimento Ocupa UESB, estudantes representantes do Movimento Ocupa UFBA, estudantes representantes do Movimento Ocupa CETEP e estudantes representantes do Movimento Ocupa IFBA; foram realizados informes sobre a perspectiva de desocupação de cada instituição presente; foi discutida a possibilidade da criação de um fórum, onde serão debatidas estratégias de luta e questões organizativas; a realização da próxima Assembleia Unificada, foi marcada para o dia sete de janeiro de dois mil e dezessete, horário e local a determinar.
Diante de todas as pautas discutidas e superadas, a Assembleia Estudantil do Movimento Ocupa UESB declarou encerrado os trabalhos.